• 12h às 18h
  • Atendimento:
  • 28 3548-1101

Prefeitura de Irupi arcará com cinquenta por cento do valor de análise de solo para produtores

17/07/2019 

A Prefeitura de Irupi em parceria com Sindicato Rural de Manhuaçu realizará, para agricultores do município que desejam realizar a análise do solo de suas propriedades, o custeio de cinquenta por cento das despesas com o laboratório.

A iniciativa é da Secretaria de Agricultura numa parceria com Incaper, os produtores interessados deverão procurar estes órgãos, trazer suas amostras e posteriormente elas serão enviarão para o Laboratório LabSolo de Manhuaçu, uma vez por semana. O resultado da análise é entregue dentro de 05 a 07 dias útéis por e-mail.

A análise de solo é o primeiro passo para um manejo de culturas adequado. Será esta análise que mostrará as condições químicas e físicas, como os teores nutricionais, acidez e o tamanho das partículas, permitindo avaliar a necessidade de calagem, quanto e qual tipo de calcário deve ser utilizado e quais nutrientes devem ser fornecidos por meio de adubação.

Ou seja, a garantia de uma alta produtividade aliada a preservação do meio ambiente passa por um solo fértil e conservado e a análise de solo é fundamental para propiciar as melhores condições para as culturas.

Além disso, o procedimento de análise de solo é pré-requisito para algumas instituições financeiras que fornecem crédito rural e seguro agrícola. O Banco do Brasil, por exemplo, exige análises químicas a cada 2 anos e análises físicas a cada 10 anos para contratação do ProAgro.

Profundidade de amostragem

As amostras devem ser estratificadas, ou seja, o solo deve ser retirado em uma camada de 0 a 10 cm e outra de 10 a 20 cm para possibilitar a avaliação do comportamento dos nutrientes ao longo do tempo.

Para fins de recomendação de adubação e calagem, considera-se a média das duas porções.

Em alguns casos, por exemplo na cultura do trigo ou para avaliação de nutrientes específicos como enxofre e boro, uma amostragem de 20 a 40 cm se faz necessária.

Tipos de amostra

A retirada de uma amostra em um único ponto no terreno é denominada amostra simples.

Ao homogeneizar-se as amostras simples, obtêm-se uma amostra composta, que contém todos os pontos de amostragem estratificada de uma mesma gleba ou talhão, ou seja, a mistura de todas as coletas de 0 a 10 cm e, separadamente, as coletas de 10 a 20 cm.

Para fins de análise, são retirados cerca de 300 gramas de uma amostra composta. Portanto, é fundamental realizar a homogeneização de forma adequada para ter uma boa representatividade das condições do solo.

Interpretação da análise

Após a realização da análise laboratorial, cabe ao produtor ou profissional capacitado interpretá-la para tomar as decisões corretas a respeito da adubação e calagem.

Os principais pontos observados são:

Saturação por bases (V%)

CTC ou T

Acidez do solo (pH)

Tamanho de partículas (argila, silte e areia)

Teores nutricionais (matéria orgânica, cálcio, magnésio, potássio, fósforo e alumínio)

Relação Cálcio/Magnésio

Saturação por alumínio (m%)

Cada região possui suas publicações específicas para a metodologia e interpretação das análises de solo. No Brasil, a Sociedade Brasileira de Ciência do Solo é um dos principais canais para obter informações a respeito.

Fonte: https://tecnologianocampo.com.br/analise-do-solo/

 

Foto: Marcos Oliveira

Informações a imprensa: Marcos Oliveira

Contato: (28) 3548-1101 Ramal: 224

comunicacao@irupi.es.gov.br